Não foi amor à primeira vista

amor a primeira vista

Foi no nosso dia a dia da descoberta desse amor

Eu lembro bem, não foi amor à primeira vista. À primeira vista era brincadeira de criança, paquerinha da adolescência, beijos sem compromisso, troca de sms o dia todo e um frio na barriga que nos fazia continuar. À primeira vista, nenhum dos lados tinha pretensão, planos ou sonhos de uma vida a dois. Nenhum dos lados tinha sequer noção do que era um compromisso. À primeira vista não era nada. Não foi amor à primeira vista.

Foi aos poucos. Foi dia a dia. Foi quando tinha que ser.

Foi quando me disse que seria o meu melhor amigo, acima de tudo, e que um dia eu iria entender isso. E hoje eu entendo. Foi quando notei que você me deixava escolher o filme do sábado a noite, o lanche no drive thru do McDonalds no fim de um domingo e a sua camiseta para um aniversário. Foi quando descobri que meu ciclo menstrual estava marcado na sua agenda para que você soubesse quando deveria ser mais delicado comigo, já que, você sabe, a TPM aqui bate forte. Foram nas vezes em que eu não precisei dizer nada, você sabia exatamente o que estava se passando ao olhar nos meus olhos. Foi quando chorou comigo, na mesma intensidade e com a mesma emoção, porque é assim mesmo, você toma as minhas dores. Todas elas. E sonha os meus sonhos e vive os meus medos e comemora as minhas vitórias.

Foi quando me vi sozinha, mas quanto engano, você estava lá e sozinha eu nunca estive, de fato.

Foi quando o telefone tocou de madrugada apenas para dizer um “eu te amo”. Foi quando descobri que você deixava todos os últimos pedaços – da Pizza Hut, do chocolate, do sashimi, do Cheddar Mcmelt do McDonalds e do frozen sabor jabuticaba com nutella e leite ninho não porque não estava tão gostoso quanto você imaginava, como você costuma dizer, mas para que eu aproveitasse mais. Foi quando assistiu cinco vezes o mesmo episódio da nossa série favorita comigo. Foi quando pegou um táxi em um horário importuno só para me dar um abraço e dizer “vai ficar tudo bem”. E ficou. Porque você sabe exatamente o que fazer, o que dizer e também o que e quando não dizer nada.

Foi quando entendi que a vida a dois é construída nos desafios diários. 

Andando lado a lado para que, em nenhum momento, um dos dois fique para trás. Caminhando na mesma direção para que, ao fim do dia, os dois estejam olhando para um mesmo ponto, juntos. Entendendo, dialogando, perdoando, enfrentando e, acima de tudo, sabendo reconhecer que jamais será perfeito, mas continuará sendo o nosso amor, que não foi à primeira vista. Porque não foi amor à primeira vista. Mas à primeira vista, meu amor, foi, na verdade, a melhor coisa que a vida poderia ter feito por nós dois: nos unir. E, de uma forma ou de outra, a gente sabia disso. E deu certo. Não era amor lá no início, mas é agora.

 É amor e vai continuar sendo até quando Deus nos permitir. 

Júlia Groppo

Por julia às 15.03.16 471 comentários

471 Comentário em “Não foi amor à primeira vista”

Deixe seu comentário

A felicidade é aqui (e agora)
A tal da criatividade
O ”ponto morto” da vida tem seu valor
Sobre fios, fases e metamorfoses