Hoje eu quero ser Júlia

felicidade-2

Já parou pra pensar o que te torna único em meio a uma multidão? Consegue listar as suas principais características que te tornam exatamente quem você é e te diferenciam dos demais? Penso eu que um dos primeiros passos para o nosso autoconhecimento e, consequentemente, nossa aceitação perante quem realmente somos, começa quando conseguimos identificar, em meio a todo o caos do mundo, qual a nossa verdade. E com verdade, podemos pensar no conjunto de coisas que nos faz ser quem somos: nosso físico – e bem mais importante que isso – a nossa beleza interior e as nossas ideias e objetivos. A nossa parcela de luz nesse mundo.

A partir do momento que estamos cientes de quem somos conseguimos sentir, também, o que gostamos em nós e o que nos incomoda. Nessa hora, para mim, o importante é realçar as nossas melhores características e driblar, um pouco por dia, os nossos defeitos. Eles não vão sumir – e nem devem, pois fazem parte do nosso conjunto de ser – mas podem ser melhorados.  O que não pode acontecer? Para mim, o cuidado aqui é com você querer que a sua vida seja igual a de alguém. Você querer se comportar e ter as mesmas características de outra pessoa. Você tentar se adequar aos padrões que fulano e beltrano criaram – sei lá de onde – e dizem ser a receita da vida perfeita. Esqueça as regras, os padrões, o passo a passo e “As 10 dicas para ser feliz para sempre”. Esqueça os moldes, as adequações e pare de se comparar. Você é ÚNICO. De verdade… Eu te juro. Não existe ninguém nesse mundo igual a você. Não existe outro Gabriel, outra Maria, outro Fernando ou outra Isabela. Não existem cópias. Não existe xerox. Só existe você e o seu poder de ser exatamente quem você é. Ta aí a grande importância do autoconhecimento.

É muito comum passar por essa fase onde desejamos ser qualquer pessoa, menos quem realmente somos. Isso porque esse processo maluco de aceitar quem a gente é – e transformar isso no nosso poder – requer tempo, paciência e maturidade. Entre tantas outras coisas… Ainda assim, quero te fazer enxergar ao ler este texto hoje que quando a gente se conhece de verdade, nada pode tirar de nós esse poder de querer ser QUEM A GENTE REALMENTE É.

Aconteceu comigo. Desde então, estou mais forte. Mais que nunca, quero ser quem eu sou. Mais que tudo, quero conquistar o mundo da minha forma. Em um dia qualquer, olhei para todas aquelas pessoas a minha volta e soube, naquele momento, que eu não gostaria de ser ninguém além de mim mesma. Descobri também que hoje, e pelo resto da minha vida, quero ser Júlia Groppo. Por tudo o que carrego comigo, por quem eu sou e por tudo o que sei que pode ser melhorado aqui dentro.

Você passou por essa fase? Está vivendo este momento? O que na sua vida te faz querer ser quem você é?

Júlia Groppo

Por julia às 31.10.16 66 comentários

66 Comentário em “Hoje eu quero ser Júlia”

Deixe seu comentário

E se a gente tivesse tempo?
Você se faz feliz?
Conselho de vó
De mãos dadas comigo mesma