Degrau por degrau

Consigo me lembrar facilmente das tantas vezes em que questionei tamanha dificuldade para lidar com algumas situações da minha vida; para encarar limitações que são tão parte de mim quanto as coisas que mais amo em mim mesma. É engraçado como nos cobramos evoluir de forma rápida em aspectos que fizeram parte de nós por tantos anos.

Veja bem: se você se acostumou a enxergar a vida e a se comportar de determinadas formas por tanto tempo, acredite, não será da noite para o dia que você conseguirá mudar esses padrões. Apesar de hoje em dia estarmos nos comportando em muitos momentos como máquinas, sabemos que não somos. Que precisamos de tempo e paciência com as coisas, sobretudo com nós mesmos.

Então, se quer saber, não importa o quanto demore, mas sim que você está, de fato, dedicando-se diariamente a esse caminho. Às mudanças que você sabe que serão boas para você. Esse processo pode ser longo, difícil e muitas vezes solitário, mas é igualmente recompensador. Mais um dia chega ao fim e eu sei que já não estou mais naquele mesmo degrau; subi mais um em direção à minha própria evolução. Estou em dia comigo mesma, pois não importa que ainda não tenha alcançado o que gostaria: já não estou mais no mesmo lugar. Assim como você.

Então, façamos um favor a nós mesmos e lembremos, sempre que possível, que um pequeno progresso continua sendo um progresso – e já é algo grandioso do qual devemos nos orgulhar! De degrau em degrau, chegaremos lá – apesar de eu acreditar cada dia mais que o que traz o real prazer nessa vida é esse tal caminho que estamos trilhando, independente de onde ele vai dar.

Estamos todos juntos nessa.

Júlia Groppo

Por julia às 21.01.20 986 comentários

Comments are closed.

Ano novo, vida nova?
O que você deixou cair pelo caminho?
Minha primeira tatuagem
Prometa-me desacostumar