Respiros

A palavra ”respiro”, por si só, já me traz um grande alívio. Melhor ainda é a ideia de, ao longo de toda a loucura do nosso dia a dia, buscarmos essas pequenas tréguas que nos ajudam a manter a calma e o foco, e a nos sentirmos mais perto do nosso conforto interno. E aqui, eu nem estou me referindo às coisas que você mais ama fazer, como os seus hobbies, mas sim às simples atitudes que te levam de volta ao seu eixo, principalmente em semanas mais turbulentas, seja no trabalho ou na vida pessoal. Pequenas pausas que te ajudam a lidar com a rotina de maneira mais leve.

Um gole de água entre uma atividade e outra, uma xícara de chá para esquentar os dias frios, aquela rápida escapada do escritório para comprar um doce, uma olhadinha pela janela para contemplar o céu, ouvir uma música para inspirar um novo projeto, escrever os sentimentos em um caderno para aliviar a mente, alongar-se, trocar mensagens com aquele amigo que sabe ser um bom confidente dos perrengues rotineiros. São muitos os respiros que podemos nos dar entre responsabilidades e afazeres; é como um presente a nós mesmos.

A verdade é que precisamos deixar de lado o tal do piloto automático e nos lembrar, entre um respiro e outro, que o nosso dia a dia foi feito, sobretudo, para ser apreciado. Que precisamos nos perceber ali, vivos, vivendo, mesmo dentro de um escritório, onde passamos a maior parte das 24 horas que nos são dadas diariamente. E que se as coisas estão meio tortas (porque a vida tem dessas!), podemos oferecer diferentes tipos de alívio a nós mesmos. Afinal, a vida está o tempo todo acontecendo, e eu gosto de sempre me lembrar disso.

E você, tem se dado esses momentos? Quais são os seus respiros?

Júlia Groppo

Por julia às 04.02.20 65 comentários

65 Comentário em “Respiros”

Deixe seu comentário

De mãos dadas comigo mesma
O processo (é o que mais) importa
O que aprendi com o coronavírus
Algumas coisas que descobri sobre a vida