E a lista de metas do ano?

Tenho uma pergunta importante para te fazer. Você ainda se lembra das metas que escreveu para 2020? 

Já passamos da metade do ano, e é bastante comum que, a essa altura do campeonato, você já tenha se esquecido de algumas delas ou mesmo deixado outras para trás. Isso porque, com a correria do dia a dia, acabamos por ser engolidos pela rotina. Este ano, a situação está ainda mais desafiadora, já que uma pandemia nos pegou de surpresa e mudou, sem nem pedir licença, muitos dos nossos planos. 

É por isso que decidi compartilhar algumas dicas pessoais de como resgatar esses desejos que você escreveu lá no início de 2020. Vamos lá?

1) Reveja as suas metas (sempre que possível)

Por muito tempo, eu escrevia as minhas metas e as deixava guardadas dentro de uma gaveta. Lá elas ficavam durante todo o ano, e só as via novamente no meu ritual de Ano Novo, onde costumo fazer um balanço de tudo o que escrevi e do que consegui realizar. O problema é que, com o passar dos meses, muitas coisas iam acontecendo e tirando a minha atenção de todos aqueles itens especiais que eu queria realizar nos próximos 365 dias. Natural, pois a vida acontece e, em muitas das vezes, de maneiras que não estávamos esperando.

Percebi que, para não me esquecer dos meus principais objetivos para o ano, eu precisava deixá-las em um lugar visível, e acessá-las sempre que possível. Para mim, funciona bastante checá-las todo mês e toda semana, que é quando sento para montar os meus planejamentos. Outra dica é deixá-la dentro da sua agenda – um lugar que você abre todos os dias – ou mesmo colada em algum canto especial do seu quarto. Lembrar a nós mesmos de forma frequente onde queremos chegar é um incentivo bastante importante e traz uma dose extra de inspiração.

2) Desapegue e ressignifique

Não se identifica mais com alguma meta? Eu te asseguro: está tudo bem mudar de ideia e não querer mais realizar algo que antes parecia importantíssimo para você. O tempo passa e a gente muda, assim como as nossas prioridades e sonhos. Apenas tente entender o motivo de não querer mais realizar tal meta e se certifique de que você está deixando isso para trás por uma vontade própria, e não por desânimo ou opiniões alheias.

Aprenda também a ressignificar aquelas que, por mais que você queira muito realizar, talvez tenha que deixar para depois, já que muitos dos nossos planos precisaram ser pausados devido ao coronavírus. E, por favor, não se culpe, afinal, nenhum de nós estava contando com esse enorme imprevisto. Aproveite para, quem sabe, fazer um planejamento de como conseguir realizá-la no próximo ano.

3) Transforme as suas metas em mini-metas

Esse conselho é valioso e aprendi com a jornalista e coach Bruna Fioreti, de quem sou uma grande fã. A ideia é que você divida as suas metas do ano em mini-metas mensais, semanais e diárias. Explico: nossos objetivos não serão conquistados da noite para o dia, mas sim com pequenos passos e esforços diários que vamos criando em direção a eles. Portanto, separe momentos da sua rotina para escolher uma meta e elencar todas as pequenas ações que você pode dar até que a conclua. Assim, você está criando um panorama realista para si mesmo, o que vai te ajudar, aos pouquinhos, a chegar onde você deseja.

E aí, gostou das dicas? Se tiver alguma para compartilhar, comente aqui!

Júlia Groppo

Por julia às 06.08.20 38 comentários

38 Comentário em “E a lista de metas do ano?”

Deixe seu comentário

A tal da criatividade
O ”ponto morto” da vida tem seu valor
Sobre fios, fases e metamorfoses
Sobre rótulos e o despir-se socialmente