Arquivo da tag 'sentimentos'



Conselho de vójulho 20, 2020 | Crônicas, Devaneios
Minha avó sempre me aconselhou, desde pequena, a ouvir mais e falar menos. Passei a maior parte da minha infância em sua casa, e



O processo (é o que mais) importamarço 31, 2020 | Crônicas
Imagine a seguinte cena: você de um lado, seu maior sonho do outro e, em meio a vocês, um precipício. Pode parecer assustador, ainda



O que aprendi com o coronavírusmarço 23, 2020 | Crônicas, Devaneios
É fato que esse cenário tenso no qual estamos inseridos está apenas começando. Longe de mim ser pessimista (faço mais o tipo insuportável-de-tão-otimista), mas



Algumas coisas que descobri sobre a vidafevereiro 21, 2020 | Crônicas, Devaneios
Na minha aventura pela busca de uma vida mais leve, tenho entendido cada vez mais que leveza tem muito a ver com conseguir se



Sua verdadeira casafevereiro 5, 2020 | Crônicas, Devaneios
Já parou para pensar que o seu corpo é um lugar do qual você nunca vai sair? Podemos nos retirar de locais que não



Sentirjaneiro 29, 2020 | Crônicas, Devaneios
Você aí: já experimentou sentir as coisas? A princípio, essa pode parecer uma pergunta bem tola (e um tanto óbvia). Ao menos era para



Faça as pazes com você mesmo | Crônicas, Devaneios
É comum nos pegarmos olhando para o passado e questionando algumas de nossas decisões. Batemos no peito para dizer que, hoje, teríamos tomado outros



A tal da ansiedadejaneiro 27, 2020 | Pelo mundo
Se você não tem a ansiedade como uma companheira fiel, com certeza conhece alguém que tem. Certa vez, tentaram me explicar esse sentimento tão



O bom e o ruimdezembro 17, 2019 | Crônicas, Devaneios
Lá estava eu assistindo a mais uma comédia romântica. Daquelas totalmente previsíveis (o tipo que eu mais amo!). Foi quando algo totalmente imprevisível foi



Sobre expectativasabril 27, 2019 | Crônicas, Devaneios
“Não crie expectativas. Elas não servem para nada”. Li dia desses e veio como uma flechada, daquelas bem certeiras. Senti a indireta, tá, vida?!





A tal da criatividade
O ”ponto morto” da vida tem seu valor
Sobre fios, fases e metamorfoses
Sobre rótulos e o despir-se socialmente