Ano novo, vida nova?

Essa é uma das minhas épocas preferidas do ano. Os últimos dias de um e os primeiros do próximo; janeiro tem todo um gostinho especial para mim. Aquela sensação de deixar um ciclo importante para trás e poder fazer melhor e diferente nos próximos meses que se aproximam traz um quentinho ao coração. Os tais recomeços são, de fato, muito entusiasmantes.

Mas, pela primeira vez, eu senti tudo isso de forma diferente. Afinal, apesar de já não estarmos mais em 2020, seus estragos vieram conosco para 2021. Isso porque ainda enfrentamos uma pandemia, coisa que nem a magia de um ano novo foi capaz de curar. Somado a isso, a minha vida não mudou com a virada do calendário, pelo contrário: boa parte das coisas continua exatamente como estava no ano anterior, o que dificulta a tal virada de chave de que novas oportunidades estão por vir.

Por dias, fiquei estranha. Angustiada. Por diversas vezes, me perguntei se não havia algo de errado comigo; se eu não estava sendo pessimista demais. Me questionei algumas vezes: ”Mas Ano Novo não quer dizer vida nova?”. Porém, a verdade é que, mesmo me agarrando bem forte ao meu otimismo – algo que sempre tento trazer para a minha vida – e às minhas metas para 2021, todos esses sentimentos esquisitos insistiam em fazer morada dentro de mim. Foi aí que entendi: talvez eu devesse apenas aceitar.

Aceitar que, independente de ser um novo ano, algo muito maior que nós e que nossos desejos mais genuínos continua a nos perturbar. E isso nos tira o chão, nos tira planos e nos tira certezas que um dia julgamos ter. Portanto, decidi abraçar um início de fase sem muito ar de algo tão novo e empolgante assim. Decidi dançar conforme a música, mesmo que ela esteja alta demais e não seja uma das minhas preferidas.

Foi um início de ano aos trancos e barrancos, e tudo bem. Nem sempre Ano Novo significará vida nova. Mas um novo ano sempre significará novas oportunidades de viver e enxergar a vida de diferentes formas. E disso jamais abrirei mão!

Júlia Groppo

Por julia às 28.01.21 Comentários

Comments are closed.

A tal da missão de vida
Desafiando minha rotina
Ano novo, vida nova?
O que você deixou cair pelo caminho?