15 minutos de cada vez

Já faz alguns anos que uso uma espécie de mantra para não deixar que a ansiedade tome conta de mim. Quando me percebo sendo engolida pelos meus monstros internos, repito para mim mesma: ”Júlia, vamos um dia de cada vez”. E é incrível como na hora meu coração acalma seus batimentos e eu paro de atropelar os meus passos. Sou eu ali me dando um abraço e me relembrando que de nada adianta se estressar com dias e desafios que ainda nem chegaram. O que eu tenho, no fim das contas, é o hoje.

Até que um dia, enquanto assistia aos conteúdos de uma pessoa que gosto de acompanhar na internet, ouvi algo do tipo: ”Estou vivendo 15 minutos de cada vez”. Aquilo me acolheu de uma tal maneira que passei a adotar. Afinal, em meio a uma pandemia que já dura mais de um ano, em apenas um dia muitas coisas passaram a acontecer. Muitas notícias boas e ruins se revezam em meio ao feed do meu Instagram, aos grupos do WhatsApp e nas manchetes do jornal da TV. O tal do ”um dia de cada vez” já não estava mais adiantando.

Então, a partir daquele dia, passei a repetir para mim mesma: ”Júlia, vamos 15 minutos de cada vez”. Foi então que entendi que não adianta se estressar com um dia todo de responsabilidades pela frente. Cada coisa precisa ser resolvida em particular, e se a gente se deixa levar pela danada da ansiedade, a verdade é que passamos aquelas 24 horas nos preocupando com o que precisa ser feito, mas sem fazer nada de fato. E aí o problema torna-se ainda maior.

Portanto, vamos um dia de cada vez. Eu e você. E quando não for o suficiente, vamos viver os tais 15 minutinhos de cada vez, dando a devida atenção a cada coisa, responsabilidade, desafio, momento bom ou pessoa que estiver a nossa frente. Afinal, estar verdadeiramente presente é necessário para viver de verdade, seja algo bom ou ruim (mas necessário).

Com carinho e paciência,

Júlia Groppo

Por julia às 07.07.21 Comentários

Deixe seu comentário

Sobre o dia em que aprendi a amar as minhas dúvidas
A lista do foda-se
Bondade
15 minutos de cada vez