Feito colo de mãe

Um dos meus textos preferidos da escritora Martha Medeiros chama-se “O mundo não é maternal”. Recomendo fortemente a leitura, mas para contextualizar rapidamente, ela fala sobre como o mundo lá fora não é nem um pouco maternal conosco como nossas mães costumam ser. Quando mais nova, lia esse texto e pensava “mas será mesmo?”. Hoje, a cada dia que passa, ele se mostra um pouco mais verdadeiro; daquelas verdades que a nossa criança interior custa a aceitar, mas não há outro caminho que não este. 

Esse mundo, na maior parte das vezes, não tem a menor paciência para os nossos dramas, não oferece carinho em dias difíceis, nem mesmo um colo para dar aquela choradinha necessária que revigora. Esse mundo não nos conhece como a palma da mão (e, pasme, não está nem um pouco afim de conhecer). 

É por isso que, além de eu graças a Deus poder contar com o colo da minha mãe, que segue sendo um lugar de segurança, eu passei a criar uma pequena lista de coisas que me abraçam, aquecem e acolhem feito ele. Como em tudo na vida, eu acredito que cada um tem a sua própria receita. E que benção é a gente poder sempre recorrer a esses ingredientes especiais que tornam os dias cinzas um pouco coloridos que seja. 

O mundo não é maternal – e disso não tenho mais dúvida alguma. Também não tenho dúvidas de que nada se compara ao colo de mãe, que, quem tem a sorte de tê-lo desde sempre, sabe bem do que eu estou falando. Mas o que eu tenho mais certeza ainda é que, sim, nós podemos (e devemos) criar os nossos pequenos aconchegos, que, como um bom colo de mãe, nos dão aquele quentinho no coração necessário para seguirmos em frente a cada tropeço. 

Quais são os seus?

Júlia Groppo

Por julia às 01.06.22 Comentários

Deixe seu comentário

Feito colo de mãe
Não importa o destino: viagens são sempre um reencontro com nós mesmos...
Notas sobre a vida
Sair da zona de conforto não precisa ser tão desconfortável...